Ligue já: (98) 3015-7218 / 99142-1469 

marca-1.jpgmarca-2.jpgmarca-3.jpgmarca-4.jpgmarca-5.jpgmarca-6.jpgmarca-7.jpgmarca-8.jpgmarca-9.jpgmarca-10.jpg

Trabalhamos com todas as marcas e modelos de ar condicionado

automoção

 Economizar energia com a automação de sistemas de refrigeração é uma possibilidade muito próxima da nossa realidade, possibilidade essa que já se consolidando como um padrão a ser seguido em sistemas de ar condicionado.

O uso de sistemas de ar condicionado vai muito além da aplicação residencial. Seus usos incluem os ambientes hospitalares, que necessitam de um ambiente controlado para evitar a disseminação de patógenos; fábricas em geral, que se beneficiam com o controle das temperaturas por requerimentos das máquinas e do processo de produção; escritórios, escolas, dentre outros.

Pensando na nossa realidade climática, não é surpresa que no Brasil os sistemas de refrigeração são absolutamente populares. Segundo uma pesquisa recente do IBGE, o Brasil se encontra na terceira posição mundial em instalação de sistemas de ar condicionado, sendo que apenas 17% deles se encontram em residências.

Mas com o uso tão difundido – ou necessário – do ar condicionado, surge também uma problemática: o consumo elevado de energia. Buscando economizar sem perder a performance, a automação de sistemas de refrigeração entra em cena.

Economizar energia com automação de sistemas de refrigeração: é possível?

Não é só possível como é provável que a economia de energia aconteça com a automação de sistemas de refrigeração aplicada.

Analisemos como funcionam os sistemas de refrigeração que não aplicam a automação: antes do estabelecimento abrir, é necessário que a central seja ativada e, dependendo da quantidade de alas e ambientes do prédio, haverão equipamentos espalhados pelas dependências, em casas de máquinas no exterior.

O controlador deve, então, acionar cada uma delas e monitorar seu funcionamento durante todo o dia, tarefa exaustiva e, por ser repetitiva, passível de erros.

O que a automação de sistemas de refrigeração busca oferecer, primeiramente, é a possibilidade de aumento do controle. Acionamentos remotos, controle do fluxo de forma automática, acompanhamento de áreas quentes, dentre outras, são algumas das vantagens oferecidas pelas suas ferramentas e conceitos.

Como a automação de sistemas de refrigeração age?

O maior mote da automação de sistemas de refrigeração é a redução do consumo energético e a melhora do footprint ambiental da organização. Os seus sistemas e soluções buscam, fundamentalmente, a economia aliada à performance otimizada.

Os sistemas estão interessados em entender como de fato é a dinâmica de funcionamento da refrigeração para estabelecer estratégias contundentes de acordo com as ferramentas disponíveis.

Essa é a fase de dimensionamento, onde normalmente se estipula como o sistema irá operar de acordo com o seu funcionamento prévio. Horas de acionamento e de trabalho são consideradas, assim como a carga térmica imposta ao equipamento durante esse período e suas condições gerais de operação.

Após esse momento, estratégias pontuais são elaboradas na procura da maior eficiência energética através da automação de sistemas de refrigeração.

  

Fonte: Refrigeração

 

 

mamae 

Uma das maiores preocupações das mães quando querem comprar um ar condicionado é em relação à saúde dos filhos. Sempre foi dito que o ar condicionado poderia ser nocivo as crianças menores de 2 anos. Mas a tecnologia avançada aliada ao desenvolvimento de novos aparelhos com alguns cuidados especiais para essa faixa etária acabou com esses problemas. Saiba agora sobre as questões do ar condicionado e a saúde das crianças que o site arcondicionado.com.br oferece pra você:

Ar purificado

Um dos maiores problemas com o ar é a poluição das grandes cidades. Com um ar condicionado esse problema pode terminar. O ar condicionado possui filtros que melhoram a qualidade do ar a ser respirado. Os filtros são capazes de exterminar resíduos nocivos aos pulmões e ainda, aumentar a quantidade de ar puro emitido.

Filtro contra ácaros

O ar condicionado possui filtro contra ácaros, vírus e bactérias que são as principais causas de ocorrências em problemas respiratórios. Com o filtro contra ácaros há uma diminuição em crises de asma, rinites, bronquites e outros problemas causados por esses agentes, assim como gripes e resfriados.

Controle de umidade

O ar condicionado sempre foi o maior problema em relação à umidade do ambiente, sempre foi a causa de escassez de umidade pela forma que trabalhava. Hoje em dia, há um controle de umidade no ar condicionado, evitando maiores problemas respiratórios e auxiliando na regulagem dessa umidade.

Como manter a boa saúde das crianças expostas ao ar condicionado

Há, porém, alguns cuidados que devem ser tomados para manter a boa saúde das crianças que ficam expostas ao ar condicionado. Algumas dicas para quem possui crianças menores de 4 anos de idade que devem ser seguidas para evitar problemas na saúde delas.

Limpar os filtros do ar condicionado pelo menos 1 vez por semana afim de evitar acúmulo de poeira e ácaros que estimulam o aparecimento de doenças respiratórias.

Não deixar a temperatura abaixo de 24° no quarto dos bebês e das crianças abaixo de 4 anos, o sistema imunológico ainda é muito frágil e a diferença de temperatura pode causar resfriados e gripes desnecessárias.

Evitar deixar as crianças sem roupas quando o ar condicionado estiver em funcionamento.

Arejar o cômodo pela manhã e deixar que a luz solar entre e auxilie o ar condicionado contra os agentes nocivos às crianças. Já foi comprovado que a luz solar é capaz de matar microorganismos indesejados.

 


Fonte: Zip Noticia

Banner2 Ar Condicionado Split

1 – Lavar semanalmente os filtros de ar (telinha), com água corrente e escova.

2 – Nunca coloque o filtro molhado no aparelho. Após lavar, deixe secar bem, antes de colocá-lo.

3 – Se há a sensação de calor mesmo com o ar condicionado ligado, verifique a temperatura ambiente
com o auxílio de um termômetro. O confortável é que a temperatura esteja entre 20 e 25 graus C.

4 – Colocar o ajuste de temperatura no mais frio e a velocidade do ventilador em velocidade mais lenta,
pode ocasionar formação de gelo, respingos de água, barulho e perda da eficiência do equipamento.

5 – A água que escorre da parte externa do aparelho de ar condicionado, significa que ele está funcionando bem.

6 – Não coloque a mangueira do dreno de água do ar direto na rede de esgotos, pois dará mau cheiro no ambiente.

7 – Faça manutenção preventiva nos aparelhos de ar condicionado com empresas especializadas para garantir a saúde dos
usuários do ar, prevenindo doenças decorrentes do “ar doente” e garantir a integridade e o bom funcionamento dos equipamentos.

8 – As bactérias e fungos que se acumulam nos aparelhos e dutos do ar condicionado sem manutenção, têm causado danos
graves aos usuários e até mortes.

9 – Fique atento e faça periodicamente manutenções de limpeza parcial e completa nos equipamentos.

 

Fonte: Refrigeração Nemp

como instalar um ar condicionado tudo o que voce precisa saber

 Acertar na escolha do ar-condicionado é algo fundamental, sobretudo porque um equipamento dimensionado erroneamente pode gastar mais energia do que o necessário e causar desconforto térmico. Mas, com tantas opções no mercado, a tarefa pode se tornar bastante árdua.

Para escolher o aparelho ideal, é preciso realizar um cálculo para definir a potência correta – a qual é medida em BTU. Essa tarefa leva em conta diversos fatores, como incidência solar, quantidade de equipamentos que emitem calor, quantidade de pessoas no ambiente, entre outros. O ideal é procurar um especialista ou usar softwares calculadores de BTU que auxiliem nesse cálculo.

Andrea Denise de Lima, product manager da Elgin, apresenta um modo simples para escolher a potência do ar-condicionado residencial. “Em um cálculo aproximado, podemos considerar que a carga média de um ambiente é perto de 600 BTU/h por m². Esse cálculo considera apenas duas pessoas no ambiente. Para cada pessoa a mais ou equipamentos que irradiem calor, deve-se somar mais 600 BTU/h.”

Ou seja, para um ambiente de 20 m² com duas pessoas, a potência necessária seria de 12.000 BTU/h (20 x 600). Caso existam equipamentos que irradiem calor (computadores, televisores etc.) ou mais pessoas no ambiente, soma-se 600 BTU/h no valor total.

Acertar na escolha do ar-condicionado é algo fundamental, sobretudo porque um equipamento dimensionado erroneamente pode gastar mais energia do que o necessário e causar desconforto térmico. Mas, com tantas opções no mercado, a tarefa pode se tornar bastante árdua.

Para escolher o aparelho ideal, é preciso realizar um cálculo para definir a potência correta – a qual é medida em BTU. Essa tarefa leva em conta diversos fatores, como incidência solar, quantidade de equipamentos que emitem calor, quantidade de pessoas no ambiente, entre outros. O ideal é procurar um especialista ou usar softwares calculadores de BTU que auxiliem nesse cálculo.

Andrea Denise de Lima, product manager da Elgin, apresenta um modo simples para escolher a potência do ar-condicionado residencial. “Em um cálculo aproximado, podemos considerar que a carga média de um ambiente é perto de 600 BTU/h por m². Esse cálculo considera apenas duas pessoas no ambiente. Para cada pessoa a mais ou equipamentos que irradiem calor, deve-se somar mais 600 BTU/h.”

Ou seja, para um ambiente de 20 m² com duas pessoas, a potência necessária seria de 12.000 BTU/h (20 x 600). Caso existam equipamentos que irradiem calor (computadores, televisores etc.) ou mais pessoas no ambiente, soma-se 600 BTU/h no valor total.

CONVENCIONAL X INVERTER

Os modelos convencionais utilizam a unidade condensadora em um sistema liga-desliga. Ou seja, quando ativado, o motor funciona em capacidade máxima até atingir a temperatura solicitada e então desliga, retomando sua operação apenas quando o ambiente esquentar ou esfriar mais de dois graus célsius. Isso gera picos de energia, o que os tornam menos eficientes energeticamente.

Já os modelos inverter se adaptam à temperatura ambiente. Os motores determinam a potência a ser utilizada de acordo com a variação entre a temperatura externa e a desejada pelo usuário. Essa alteração do nível de potência do equipamento garante uma economia de até 60% quando comparado aos modelos convencionais.

PORTÁTIL X JANELA X SPLIT

O modelo portátil exige troca de calor entre os ambientes internos e externos, tendo de ser colocado próximo às janelas. Ele pode ser montado e desmontado em diversos cômodos, desde que seja possível a troca de calor com o lado externo. Pela sua praticidade, dispensa a utilização de instalação especializada. “Os aparelhos de ar-condicionado portáteis são uma opção quando o consumidor tem pressa; quer comprar, levar para casa e usar imediatamente” destaca Lima.

Bastante utilizado no passado, o ar-condicionado do tipo janela vem perdendo a preferência dos consumidores. Com as unidades condensadora e evaporadora no mesmo gabinete, ele é mais compacto, fácil de instalar e apresenta um custo mais baixo. Porém, possui geração de ruído maior que os aparelhos split e ainda interfere na aparência da fachada, ficando “pendurado” do lado exterior. É indicado especificamente para ambientes pequenos ou médios, concentrando-se em aplicações residenciais.

Também bastante utilizado em ambientes residenciais, o modelo split vem substituindo o janela no mercado. É composto por dois equipamentos instalados separadamente na parte externa e interna, o condensador e o evaporador, respectivamente. Interligados por tubos de cobre, garantem um funcionamento com um ruído menor e alteração estética mínima no ambiente.

Existem três principais modelos de ar-condicionado do tipo split: High Wall (residencial e corporativo), Piso-teto (comercial) e Cassete (comercial). Além disso, existe também o Multi-split ou VRF, que consiste em apenas um condensador no lado externo atendendo a diversos evaporadores no lado interno. Ideal para residências e pequenos escritórios.

 

 

Fonte: AEC WEB

acons3

 – O que é unidade condensadora?

Composta por condensador, compressor e ventilador, a unidade condensadora é responsável por realizar a troca de calor e promover a troca de calor através de serpentinas para que o gás refrigerante que entra seja resfriado, condensado e transformado em estado líquido. Além disso, ela também recebe o auxílio da ventilação externa, que passa pelo trocador de calor, para resfriar o gás no interior do sistema do ar-condicionado. Colocadas na parte externa do ambiente, elas podem ter diversos modelos e tamanhos, seja para uso residencial, comercial ou industrial.

– O que é unidade evaporadora?

Já a evaporadora é a unidade interna do aparelho, que fica instalada dentro do ambiente a ser climatizado. Ela transfere o calor do ambiente refrigerado para o fluído refrigerante que está em circulação. Assim, esse fluido, que está em estado líquido, se transforma em gás. Nesse processo, a evaporadora, que absorveu o calor, mantém a temperatura escolhida.

– Posso usar transformador de 110v/220v no aparelho split?

Outras dúvidas sobre ar-condicionado bastante frequentes e que causam bastante polêmica, já que a maioria dos aparelhos split é fabricada em 220v e muitas residências são em 110v, é sobre o uso de transformadores e as formas de adaptação à rede elétrica. Se o aparelho for 220v e for ligado em 110v, a princípio ele não queimará, mas como estará recebendo uma tensão abaixo da qual foi projetado, ele terá seu desempenho comprometido.

O uso de transformador é possível, ainda que não seja o ideal, já que o consumo de energia será bem maior e ainda pode haver danos ao aparelho. Por conta disso, a maioria das marcas de ar condicionado split avisa que o uso de transformadores acarreta na perda da garantia de fábrica.

O ideal é pedir na concessionária de energia elétrica a alteração da rede de bifásica para trifásica, providenciando também a fiação adequada para o perfeito funcionamento do aparelho.

– Ar-condicionado 110v consome mais que 220v?

Para muitos consumidores existe um mito de que os aparelhos com tensão de 220V consomem menos energia elétrica do que os com tensão de 110V e que isto reflete em uma economia na conta de luz. Na verdade, os modelos 220V,até, consomem um pouco menos. Isso porque eles trabalham com uma fiação mais fina devido à corrente menor que sua tensão exige. Porém, a diferença de consumo é tão baixa, que levaria um bom tempo para obter algum retorno financeiro na conta de luz.
De fato, o que determinará o quanto um produto vai consumir de energia é sua potência e o tempo de utilização: quanto mais watts ele precisa para funcionar, e quanto maior o tempo de uso, maior também o gasto energético.

– O que é tecnologia inverter?

Entre as dúvidas sobre ar-condicionado, vale a pena saber mais sobre a tecnologia inverter para poder usufruir de todos os seis benefícios. O inverter é uma tecnologia que faz com que o compressor funcione sem oscilação para manter a temperatura adequada. Isso faz com que não haja picos de energia, o que pode significar uma economia de até 50% ,quando comparado ao convencional, na conta de luz.

Por outro lado, o inverter é também muito mais silencioso e o fluxo de ar é mais espalhado, levando ainda mais conforto térmico ao ambiente. O ar condicionado inverter também é considerado ecológico, porque o gás utilizado é amigo do meio ambiente.

 


Fonte: Dufrio

Serviços

manutencao ar condicionado

Manutenção de ar condicionado

Atendimento Personalizado. Manutenção, Limpeza e Conservação de Ar-condicionados, Refrigeradores, Balcões Frigoríficos. Serviços Rápidos, Seguros e com Qualidade. Orçamento sem Compromisso. Ligue e Confira Nossos Serviços!

servico-imagem.jpg

Instalação de ar condicionado

Atendimento Personalizado. Manutenção, Limpeza e Conservação de Ar-condicionados, Refrigeradores, Balcões Frigoríficos. Serviços Rápidos, Seguros e com Qualidade. Orçamento sem Compromisso. Ligue e Confira Nossos Serviços!